Terramoto no WorldTour – Jumbo pode absorver a Quick Step

Terramoto no WorldTour – Jumbo pode absorver a Quick Step

Jumbo-Visma de Richard Plugge pode absorver a Quick Step de Patrick Lefevere e criar uma super equipa de Países Baixos e Bélgica.

O habitualmente bem informado portal neerlandês Wielerflits avança a notícia, deixando cair por terra o cenário projetado há meses de uma eventual fusão entre Ineos Grenadiers e Soudal Quick Step.

No novo tabuleiro do WorldTour deixaria de existir a maior equipa da história das clássicas, mas passaríamos a ter um gigante do Benelux.

O novo paradigma do ciclismo é a Jumbo-Visma, que este ano fez algo inédito vencendo Giro, Tour e Vuelta. Para rematar o ano ainda fizeram a tripla na prova de fundo do Europeu de Drenthe.

Licença WorldTour à venda e atletas livres

Quando duas equipas se juntam há sempre uma que sai por cima. A Jumbo-Visma marca os termos da operação já que Richard Plugge seria CEO e Merijn Zeeman coordenador da área desportiva. Aos 68 anos, Patrick Lefevere passaria à reforma com uma posição simbólica na estrutura.

A Jumbo-Visma manteria a licença de WorldTeam e a Quick Step colocaria a sua à venda. Lefevere tem uma participação e o milionário Zdenek Bakala é o sócio maioritário. Num WorldTour hermético e onde até final de 2025 não há revisão de licenças, a da Quick Step vale alguns milhões de euros porque é uma via rápida para a máxima categoria.

Licença WorldTour à venda e atletas livres. Neste momento a Jumbo-Visma tem 27 corredores com contrato para 2024 e a Quick Step tem 23. As regras da UCI preveem que a equipa que vende a licença WorldTour deixa de existir, logo, o atleta pode aceitar um novo contrato na nova estrutura ou passar a agente livre.

Créditos: Luis Angel Gomez/Sprint Cycling Agency

Roglic e Evenepoel são os ativos mais cotados

Ao nível dos patrocinadores reporta o Wielerflits que Soudal e Visma ficariam ligadas ao projeto. A Quick Step cessaria um patrocínio ativo há 25 anos e a Jumbo já se sabe que vai acabar com todos os apoios ligados ao desporto.

Na ótica da configuração do plantel há um excesso de corredores e após a Vuelta nada será igual na Jumbo-Visma. Por exemplo, Primoz Roglic, que era o líder na Vuelta e acabou em 3º, já terá sido sondado por Bahrain Victorious, Jayco-AlUla, Lidl-Trek e Movistar.

Remco Evenepoel é outro peixe graúdo. O pai Patrick Evenepoel disse desconhecer esta operação e ficou surpreendido pela notícia. Quem não gostaria de contar com o campeão mundial de contrarrelógio?

Roglic e Evenepoel são os ativos mais cotados, mas há muitas consequências potencialmente negativas na operação. O que vai acontecer às equipas femininas da Jumbo-Visma e da AG Insurance-Soudal Quick-Step? Ambas fazem parte do WorldTour…

Aguardemos pelos próximos capítulos.

Noticias relacionadas

Seis destaques da Volta a Portugal do Futuro

Seis destaques da Volta a Portugal do Futuro

Bruno Pires já ganha com a Tudor

Bruno Pires já ganha com a Tudor

Evenepoel e Roglic no Dauphiné

Evenepoel e Roglic no Dauphiné

Rui Oliveira fez a festa com Tadej Pogacar no Giro

Rui Oliveira fez a festa com Tadej Pogacar no Giro

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais