Pogacar e Vingegaard colam milhões ao Tour de France

Pogacar e Vingegaard colam milhões ao Tour de France

Tadej Pogacar e Jonas Vingegaard geram audiências recorde do Tour de France. Milhões seguem os corredores nascidos nas profundezas de Dinamarca e Eslovénia.

Há que esperar pelos números finais de mercados estratégicos, mas a primeira semana do Tour em França foi a melhor desde 2006 com média de 3,7 milhões de espetadores no canal aberto France 2.

O regresso a Puy de Dôme, 35 anos depois, foi o auge com um pico máximo de 8 milhões de espetadores no final da etapa!

Atualmente na segunda semana de competição, o Tour de France fez a aproximação aos Alpes, via maciço das Jura, com a chegada ao Grand Colombier. A expetativa de mais um mano a mano entre Jonas Vingegaard e Tadej Pogacar colou à televisão francesa 5,2 milhões de espetadores em média e o momento do triunfo de Michal Kwiatkowski foi seguido por 7,6 milhões de aficionados.

São dados espetaculares tendo em conta que os franceses não têm um candidato à vitória final e que os protagonistas são de países com pouca expressão em termos de audiências: Dinamarca e Eslovénia somam 7,7 milhões de habitantes em conjunto.

Etapa 13 – Châtillon-sur-Chalaronne / Grand Colombier (137,8 km)
Créditos: A.S.O. Pauline Ballet

O que é o Tour?

No britânico The Times o jornalista David Walsh abriu a crónica da 14ª etapa descrevendo o que viu em Culoz. Dez mil pessoas nas ruas de uma localidade onde residem três mil habitantes. O motivo? Foi desde Culoz que o pelotão subiu ao Grand Colombier.

Se algum dia vos perguntarem o que é o Tour respondam que é um evento capaz de triplicar a população de uma aldeia e levar vida e alegria à França profunda.

O curioso é que os vencedores das últimas três edições vêm de meios rurais. Vingegaard vive em Hillerslev, na Jutlândia do Norte, o território mais a norte da Dinamarca. Pogacar nasceu em Komenda, na base dos Alpes Kamnik, a norte da Eslovénia. Nenhum tem mais do que 1000 vizinhos.

Pogacar e Vingegaard trouxeram um ciclismo de ataque com cheiro a anos 80.
Créditos: A.S.O. Pauline Ballet

Se Vingegaard cresceu rodeado de um silêncio apenas perturbado pelas turbinas eólicas do Osterild Test Center, Pogacar encontrou nos prados verdes de Velika Planina pouco mais do que a ocasional igreja, vacas e aldeias de pastores.

São estes dois jovens que monopolizam a atenção de milhões de espetadores em todo o mundo. Em concreto da França que há 38 anos procura sucessor para Bernard Hinault – também ele criado na rústica Bretanha. Enquanto a seca durar, os franceses (e o resto do mundo) desfrutam com um ciclismo de estilo romântico que parecia perdido nos anos 80.

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

Seis destaques da Volta a Portugal do Futuro

Seis destaques da Volta a Portugal do Futuro

Bruno Pires já ganha com a Tudor

Bruno Pires já ganha com a Tudor

Evenepoel e Roglic no Dauphiné

Evenepoel e Roglic no Dauphiné

Rui Oliveira fez a festa com Tadej Pogacar no Giro

Rui Oliveira fez a festa com Tadej Pogacar no Giro

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais