Filme “Wonderful losers: a different world ” – Essência do ciclismo

Filme “Wonderful losers: a different world ” – Essência do ciclismo

Para o fã de ciclismo, quando termina uma grande volta (que tem a duração de três semanas), de repente existe um vazio, é como terminar um campeonato do mundo de futebol para o fã de futebol, com a diferença de que o fã de ciclismo tem isto todos os anos, três vezes por ano. Somos uns privilegiados nesse aspeto.

Inicio assim este artigo porque terminou o Giro de Itália há alguns dias e já tenho saudades, o melhor Giro de Itália de que tenho memória, eu e provavelmente todos os portugueses.

Créditos: Sprint Cycling Agency

Embora em 2020 tenhamos vibrado como nunca, pelos vários dias em que João Almeida andou de camisola rosa e pelas vitórias (etapa e camisola da montanha) de Rúben Guerreiro, este ano vibrámos com a hipótese de vitória no Giro! No final vibrámos pelo facto do ciclista português ter conseguido terminar no pódio de uma grande volta.

Foi uma sensação de satisfação e orgulho que causou até estranheza pelo facto de não estarmos habituados. Olhar para o pódio, ver Primoz Roglic, Geraint Thomas e João Almeida, um português no pódio de uma grande volta.

O desporto em geral, e o ciclismo não é exceção, faz vibrar com os vencedores, os campeões, os que são extraordinários. Mas no ciclismo, embora o que vai ao pódio seja só um ciclista, e seja ele que vai ser recordado para sempre, há toda uma equipa por detrás, não refiro só o staff de treinadores, massagistas, mecânicos, nutricionistas, etc. (porque isso também existe noutros desportos) mas uma equipa de ciclistas, que tal como o vencedor, têm que pedalar todos aqueles quilómetros e fazer toda a preparação com um objetivo, ajudar um colega a vencer.

Créditos: Fabio Ferrari/LaPresse

O filme “Wonderful losers – A Different World “ não mostra as vitórias, é uma homenagem aos “gregários”“domestique”“aguadeiros” ou outro nome que se dá aos ciclistas que renunciam às vitórias pessoais em nome da vitória de seu líder. Sem eles é difícil vencer uma grande volta (e isto é só uma das partes difíceis de vencer uma grande volta).

Creio que tem imagens que retratam 100% a essência do ciclismo, na sua dureza, na sua beleza, na sua grandeza, diria até na sua complexidade, se quisermos chamar assim à falta de palavras para explicar o porquê de ser assim. Acho-o extraordinário, talvez porque me identifico mais com um gregário do que com um vencedor.

O documentário é de 2018, tem a realização do lituano Arūnas Matelis, que se juntou às equipas médicas no Giro de Itália e nos traz uma abordagem diferente do ciclismo, onde as estrelas são os chamados “gregarios”, com a participação e testemunho de ciclistas como Svein Tuft, Jos van Emden, Paolo Tiralongo, Chris Anker Sorensen ou Daniele Colli.

Vídeo

Para os menos experientes no Youtube, é possível accionar legendas, se estas não aparecerem em português, no botão “definições” é possível definir legendas em português.

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

Volta à Suíça – Etapa 5 – Espetáculo de João Almeida

Volta à Suíça – Etapa 5 – Espetáculo de João Almeida

Volta a Portugal 2024 – Já se conhecem as etapas

Volta a Portugal 2024 – Já se conhecem as etapas

Granfondo Portimão 2024 – O ultimo desafio do ano

Granfondo Portimão 2024 – O ultimo desafio do ano

Volta a Suíça – Resumo da Etapa 4

Volta a Suíça – Resumo da Etapa 4

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais