Tony Martin arrasa a UCI falando do tema segurança

Tony Martin arrasa a UCI falando do tema segurança

Numa entrevista esta semana ao programa “GCN Eurosport Cycling Show”, o ciclista alemão Tony Martin lamentou o facto de continuar tudo igual no que a segurança diz respeito.

Tony Martin, que se retirou este ano do ciclismo profissional, foi convidado do GCN Eurosport Cycling Show, onde analisou um dos grandes problemas do ciclismo actual: as graves quedas que ocorreram nas últimas temporadas no pelotão.

Martin lamentou que, apesar das novas regras em vigor, a situação continua na mesma e acredita que vá piorar.

“Na verdade nada mudou, continuamos com os mesmos padrões de segurança e continuamos com as mesmas quedas graves. A minha sensação é de que teremos mais quedas. Veremos quedas piores e com mais ciclistas forçados a desistir por causa delas”.

O alemão apelou aos organizadores um esforço para que a prova aconteça em locais que não representem perigo para os corredores.

“Nos últimos dois ou três anos no Tour de France eu não diria que estava com medo, mas sabia que poderia cair naquelas semanas. Sempre houve stress no Tour, mas desta forma nunca. Podem ser criadas condições para que os nervos do pelotão não terminem em quedas, se melhorarem os percursos”.

Tony Martin alertou a UCI de que deve reagir às graves quedas que têm ocorrido.

“…a UCI deve reagir às circunstâncias. Eles encontraram formas de tornar as corridas mais seguras? Na minha opinião, nada mudou. Se as autoridades do ciclismo não entendem o perigo, eu devo dizer que eles são estúpidos porque viram as quedas e quantos ciclistas tiveram que ser transportados de ambulância. Eles têm que saber que, como federação, são responsáveis pelos ciclistas e se olharem à situação actual, devem reagir e fazer as coisas melhor.

O ex-campeão do mundo de contrarrelógio demonstrou também tristeza pelo facto da UCI estar mais preocupada em proibir certas posições dos ciclistas em cima da bicicleta, como por exemplo os cotovelos no guiador, em vez de se preocupar em sinalizar melhor os obstáculos na estrada.

“Quando vejo que eles vêm com regras estúpidas, como proibir a posição de “supertuck” é como, “tu não podes fazer isso”, mas é uma forma de dizer que fizeram algo, criámos regras.”

Mas não vi ninguém cair na posição de “supertuck” ou com os cotovelos no guiador. Nunca vi essas posições causarem quedas, mas já vi 100 vezes quedas por obstáculos na estrada porque eles não estão bem sinalizados.

Houve quedas que terminaram muito mal e ninguém aprendeu com elas. E isso deixa-me sem palavras.

Para mim é claro que eles não querem entender, porque isso exigiria muito trabalho e muito dinheiro. Não sei. Segurança é sempre uma questão de dinheiro, e eu não creio que essas regras tornem as corridas mais seguras.

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

Primoz Roglic reflexiona sobre o Tour de France, e partilha o seu modo de vida

Primoz Roglic reflexiona sobre o Tour de France, e partilha o seu modo de vida

NOVA Trek Speed Concept  – Bicicleta de triatlo

NOVA Trek Speed Concept – Bicicleta de triatlo

João Almeida terá uma super equipa, assegura o director da UAE – Emirates

João Almeida terá uma super equipa, assegura o director da UAE – Emirates

A história do roubo da bicicleta de Geraint Thomas

A história do roubo da bicicleta de Geraint Thomas

No Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos