Pelotão nacional 2024 – Sabgal/Anicolor

Pelotão nacional 2024 – Sabgal/Anicolor

Equipa de Águeda aposta na internacionalização e recrutou talentos no WorldTour. O que esperar da Sabgal/Anicolor?

O novo ano trouxe um novo patrocinador ao Clube Desportivo Fullracing. Há um forte investimento que permite dar um salto de qualidade em 2024.

A primeira corrida foi a Clássica CV 1969, na Comunidade Valenciana, demonstrando que a estrutura visa ter cada vez maior peso a nível internacional.

Estão confirmados vários convites:

  • Tour de Antalya (8-11 fevereiro)
  • Clássica de Jaén (12 fevereiro)
  • O Gran Camiño (22-25 fevereiro)
  • Olympia’s Tour (20-24 março)
  • GP Miguel Indurain (30 março)
  • Circuito das Ardenas (4-7 abril)
  • Volta às Astúrias (26-28 abril)
  • Clásica Terres de l´Ebre (15 julho)
  • Volta a Castilla y León (23 julho)
  • Clássica Ordizia (25 julho)
  • Circuito de Getxo (11 agosto)
  • Volta à Dinamarca (14-18 agosto)
  • Volta ao Luxemburgo (18-22 setembro)
  • Tour de Vendée (8 outubro)
Créditos: Louro Produções – Luís Ferreira

Em alguns casos haverá sobreposição de corridas – Volta às Astúrias e GP O Jogo, por exemplo – o que obrigará a desdobrar o plantel de 15 corredores.

Este é o fator que separa a Sabgal/Anicolor da concorrência. Por rondarem os 10-12 ciclistas e terem uma logística condicionada pelos baixos orçamentos, as demais equipas nacionais não têm capacidade para correr eventos em simultâneo.

“Esta é uma equipa muito bem estruturada, em que todos sabem o seu papel. O espírito é sempre correr para ganhar. Nesta nova época vamos ter 120 dias de corrida e vamos dividir a equipa seis vezes ao longo do ano, o que vai implicar uma logística muito grande. Queremos dar a conhecer esta equipa portuguesa ao nível internacional.”

Rúben Pereira em comunicado.
Rúben Pereira guiará a equipa pela sétima temporada.
Créditos: Louro Produções – Luís Ferreira

Bom ano com 21 vitórias

O projeto nacional com maior capacidade para competir fora de Portugal levará no maillot o nome de Águeda.

No vale de Águeda bate forte o coração da indústria da bicicleta e a tradição remonta a 1922 com a pioneira Fábrica Nacional de Bicicletas.

Das 14,7 milhões de bicicletas produzidas na União Europeia em 2022, Portugal liderou com 2,7 milhões de unidades e o setor ultrapassou os 800 milhões de euros em exportações.

Entre os empreendedores da região está a Sabgal/Anicolor que cresce em 2024. Mantêm-se Frederico Figueiredo, Rafael Reis, Luís Mendonça, Duarte Domingues, Maurício Moreira e Artem Nych que ajudara a um bom ano com 21 vitórias.

  • Maurício Moreira 1º Clássica da Primavera
  • Frederico Figueiredo 1º Clássica Aldeias do Xisto
  • Maurício Moreira 1º GP O Jogo + 2 etapas
  • Luís Mendonça 1º GP Anicolor + 1 etapa
  • Artem Nych 1º GP Beiras e Serra da Estrela
  • Rafael Reis 1º GP Abimota + prólogo
  • Luís Mendonça 1º GP Douro Internacional + 2 etapas
  • Rafael Reis 1º Troféu Joaquim Agostinho + prólogo
  • Maurício Moreira etapa Troféu Joaquim Agostinho
  • Rafael Reis etapa Volta a Portugal
  • James Whelan etapa Volta a Portugal
  • Rafael Reis 1º GP Jornal de Notícias
  • Pedro Silva etapa GP Jornal de Notícias
  • Fábio Costa etapa GP Jornal de Notícias
Créditos: Louro Produções – Luís Ferreira

André Carvalho regressa a Portugal

Há nove caras novas e muito talento oriundo do WorldTour. André Carvalho regressa a Portugal após três anos na Cofidis e ao classicómano de Vila Nova de Famalicão junta-se Antwan Tolhoek, trepador com sete épocas e quatro grandes Voltas pela Jumbo-Visma.

O neerlandês foi 2º na Volta à Andaluzia (2021), 4º no Tour de Guangxi (2019), venceu etapa na Volta à Suíça e pode estrear-se a ganhar uma classificação geral.

“Foi um regresso um pouco mais cedo do que eu ambicionava, mas a mudança tem sido acima das expetativas. A equipa está com um projeto ambicioso e, esperamos todos, tem tudo para ambicionar ser um projeto de segunda divisão mundial. Um bom ano seria ganhar uma corrida porque na Cofidis fui perdendo essa ambição, estive ao serviço de outros e não me importava porque quando ganha um gangamos todos. O que mais ambiciono é ganhar por mim e pela equipa.”

André Carvalho ao TopCycling.

Outro nome sinónimo de vitórias é Mathias Bregnhøj. O dinamarquês ganhou quatro vezes em 2023 correndo pela extinta Leopard e deverá ter a oportunidade de regressar a dois eventos onde venceu a geral: Circuito das Ardenas e Olympia’s Tour.

O sprinter José Sousa, o completo Gabriel Baptista, o trepador Tiago Caetanita, o contrarrelogista/sprinter Oliver Rees e os espanhóis Guillermo García e Oscar Moscardó completam o plantel.

Noticias relacionadas

Volta à Suíça – Etapa 5 – Espetáculo de João Almeida

Volta à Suíça – Etapa 5 – Espetáculo de João Almeida

Volta a Portugal 2024 – Já se conhecem as etapas

Volta a Portugal 2024 – Já se conhecem as etapas

Granfondo Portimão 2024 – O ultimo desafio do ano

Granfondo Portimão 2024 – O ultimo desafio do ano

Volta a Suíça – Resumo da Etapa 4

Volta a Suíça – Resumo da Etapa 4

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais