Espectadora que causa queda no Tour 2021 começou a ser julgada

Espectadora que causa queda no Tour 2021 começou a ser julgada

Precisamente no dia em que foi a apresentação do Tour de France 2022, foi o primeiro dia de julgamento da espectadora que causou a brutal queda na primeira etapa do Tour 2021.

Para além das acusações criminais por colocar em perigo terceiros que podem resultar numa multa de € 15.000 e pena de prisão, a espectadora também terá uma acção cível apresentada pela CPA (Cyclistes Professionnels Associés).

Com essa acção, a CPA pretende impressionar o público sobre a importância da segurança do ciclista e do respeito ao mesmo quando em participação em eventos de ciclismo.

“Com este gesto, a CPA quer chamar a atenção para uma atitude responsável e de respeito para com os ciclistas no desempenho da sua profissão”,

diz a CPA em comunicado.

No primeiro dia de julgamento o Ministério Público (MP) francês lembrou que a mulher, de 31 anos, sem antecedentes criminais, “colocou outras pessoas em perigo”, mas considerou que as “lesões causadas não foram intencionais”, lembrando que a acusada “reconheceu a gravidade do seu comportamento e mostrou-se arrependida”.

O advogado da mulher, referiu que a sua cliente “é uma pessoa frágil em termos psicológicos” e considerou que essa “fragilidade aumentou muito depois dos acontecimentos em causa, que lhe tornaram a vida num inferno”.

Relembrar que na primeira etapa do Tour, disputada em 26 de Junho de 2021, a espectadora que empunhava um cartaz para as câmaras de televisão com a frase ““Allez Opi-Omi”, derrubou o alemão Tony Martin (Jumbo-Visma), que caiu desamparado no chão e foi atropelado por vários ciclistas, causando uma queda enorme no pelotão que afectou vários ciclistas e equipas no primeiro dia de competição.

A espetadora foi detida dias depois para ser interrogada, no âmbito de uma investigação criminal por “lesões involuntárias com uma incapacidade inferior a três meses, por manifesta violação deliberada de uma obrigação de segurança ou prudência”.

Depois de ter sido interrogada em 02 de Julho, a mulher, que começou hoje a ser julgada, saiu em liberdade.

Tony Martin (um dos afectados), abandonou a carreira profissional de ciclistas este ano, após participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio, alegando como uma das principais razões da sua decisão, a falta de segurança para os ciclistas profissionais nas corridas.

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

‘Matxín’ deixa cargo de director desportivo da UAE Team Emirates na estrada

‘Matxín’ deixa cargo de director desportivo da UAE Team Emirates na estrada

Mathieu van der Poel no primeiro Campeonato do Mundo de Gravel – “É histórico”

Mathieu van der Poel no primeiro Campeonato do Mundo de Gravel – “É histórico”

Travessia dos Pirinéus em bicicleta | Episódio 3

Travessia dos Pirinéus em bicicleta | Episódio 3

Campeonato Nacional de XCO 2022

Campeonato Nacional de XCO 2022

No Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos