Clássica Strade Bianche sob condições atmosféricas adversas, foi épica. (com vídeo)

Clássica Strade Bianche sob condições atmosféricas adversas, foi épica. (com vídeo)

Além do espectáculo habitual das clássicas, houve também surpresas na classificação

Na Strade Bianche 2018 os suspeitos do costume das clássicas não se conseguiram impor, e talvez tenham sido apanhados de surpresa por ciclistas não habituais nestas andanças, seja pelo tipo de prova ou por vencer.

Analisemos o pódio:

Tiesj Benoot, o jovem Belga da Lotto Soudal talvez desconhecido para alguns (não para os portugueses mais atentos, visto ter ganho a classificação da juventude em 2016 e 2017 na Volta ao Algarve), fez uma corrida soberba conseguindo juntar-se aos dois da frente vindo de trás, partindo depois sozinho para a vitória.

Tiesj Benoot

 

Benoot tinha alguns resultados de realce (TOP10 num Critérium du Dauphiné e Strade Bianche 2017, 5to. num Tour de Flanders), mas a vitória de hoje na Strade Bianche (deixando para trás Romain Bardet e Wout Van Aert) é sem dúvida o melhor até hoje na sua carreira, e certamente não era tido em conta para a vitória no início desta corrida.

Romain Bardet dispensa apresentações, ciclista líder da AG2R, segundo lugar no Tour 2017, as clássicas não são a sua especialidade (talvez por isso lhe tenham dado algum “espaço”), no entanto o ciclista francês teve um óptimo desempenho ficando hoje no segundo lugar, sobrepondo-se a especialistas como Avermaet, Sagan, Valverde, Stybar entre outros.

Romain Bardet

Wout Van Aert também dispensa apresentações, pelo menos para quem acompanha a taça do mundo de ciclocrosse.

Wout Van Aert

O recém Tri-Campeão do mundo de ciclocrosse não esteve muito bem na taça do mundo, mas no final, o título de Campeão do Mundo na sua especialidade e agora este terceiro lugar na Strade Bianche, perante ciclistas Pro-Tour mais experientes e especialistas em clássicas, faz com que entre para história. Tem 23 anos e irá certamente receber chamadas de equipas Pro-Tour.

Pódio da Strade Bianche 2018

O melhor português foi José Gonçalves da Katusha, no 27º posto.

Fica o vídeo resumo da prova.

Podes ver as classificações completas aqui.

Fotos: Strade Bianche, L’Equipe.fr

 

Luís Beltrão

Mr.B.

Noticias relacionadas

Canyon Inflite 2022 – Novas cores e especificações

Canyon Inflite 2022 – Novas cores e especificações

Jogos Olímpicos – Contrarrelógio

Jogos Olímpicos – Contrarrelógio

Jogos Olímpicos – Prova de XCO Feminina

Jogos Olímpicos – Prova de XCO Feminina

TREK First Light – O esquema de cores inspirado no Japão

TREK First Light – O esquema de cores inspirado no Japão

No Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos