Apresentação da 3.ª edição da Volta a Portugal Feminina Cofidis

Apresentação da 3.ª edição da Volta a Portugal Feminina Cofidis

Decorreu hoje no Parque Recreativo do Alvito em Monsanto, Lisboa, a apresentação da terceira edição da Volta a Portugal Feminina Cofidis.

A Volta a Portugal Feminina Cofidis irá decorrer entre 13 e 17 de setembro, com partida em Lisboa e final em Gondomar. A edição de 2023 será a primeira com cinco dias e terá um pelotão com cerca de 100 ciclistas e 15 equipas.

Além de patrocinadores e representantes de outras entidades envolvidas, estiveram também presentes algumas atletas representantes das equipa que irão participar Volta a Portugal Feminina, nomeadamente a Massi Tactic representada por Vera Vilaça, ou Glassdrive / Chanceplus / Allegro representada pela jovem Maria Santos, entre outras equipas e atletas.

As etapas

Prólogo – dia 13 de setembro

A corrida começa com um prólogo de 5,3 km’s realizado em Lisboa, que servirá para organizar a classificação geral e tática das equipas com vista aos dias seguintes.

Etapa 1 – dia 14 de setembro

A primeira etapa será entre Loures e Vila Franca de Xira, num total de 85 quilómetros, somente com um prémio de montanha em S. Domingos de Camões, e uma meta volante em Póvoa da galega.

Etapa 2 – dia 15 de setembro

A segunda tirada vai ligar Torres Vedras, Museu Joaquim Agostinho, ao Museu do Ciclismo em Caldas da Rainha, num percurso de 100,4 quilómetros, com uma meta volante em Bombarral e com dois prémios de montanha (em Casal Pardo e Casal da Marinha).

Etapa 3 – dia 16 de setembro

A terceira etapa será a mais longa, com um total de 111,3 quilómetros, entre Aveiro e Águeda. Nesta etapa haverá um prémio de montanha em Vale de Avim e duas metas volantes, em Cantanhede e Sangalhos.

Etapa 4 – dia 17 de setembro

A quarta e ultima etapa será de 84,4 quilómetros, entre Murtosa e Gondomar. Esta etapa terá uma meta volante em Rio Meão e três prémios de montanha, S.João de Ver, Gens e no final em Gondomar, local onde ficará definida a vencedora da terceira Volta a Portugal Feminina Cofidis.

As Camisolas:

Durante a corrida estarão em disputa quatro camisolas que simbolizam as lideres da cada classificação.

Camisola Amarela Jogos Santa Casa – Classificação Geral

Camisola Azul IPDJ (instituto português do desporto e juventude) – Montanha

Camisola Vermelha Cofidis – Pontos

Camisola Branca Medis – Juventude

As equipas

  • Massi Tactic Women’s Team
  • Soltec Team Costa Cálida
  • Rio Miera Cantabria Deportes
  • Universidad Politécnica Valéncia
  • Farto BTC
  • UC Melgaço e Ponte da Barca/Maiatos
  • Cantanhede Cycling/VESAM
  • Korpo Activo/Penacova
  • 5Quinas / Município de Albufeira/CDASJ
  • Matos Cheirinhos/Alenquer
  • Extremo Sul/HotelAlisios/CA Terras do Arade
  • Glassdrive/ChancePlus/Allegro
  • Proteu Cycling/Casa do Povo de Retorta
  • Academia Efapel de Ciclismo
  • Matos Mobility/ Optiria Women Team

Os intervenientes

Numa breve conversa com Vera Vilaça, terceira classificada na anterior edição da Volta a Portugal Feminina, agora na equipa que venceu a prova em 2022, a atleta portuguesa diz que gostaria de vencer em casa mas o mais importante é a equipa sair vencedora, seja através dela ou de outra colega de equipa.

A equipa deste ano é bastante diferente da equipa do ano passado, até porque a líder do ano passado este ano corre pela Israel – Premier Tech Roland e a ciclista que terminou em segundo o ano passado também está noutra equipa, o que mostra a qualidade que tinham.

Vera Vilaça

Vera Vilaça garante que ainda assim será uma equipa forte aquela que se vai apresentar na Volta a Portugal Feminina Cofidis, destacando Miryam Nuñez, ciclista equatoriana de 29 anos, que está em muito boa forma e tem obtido bons resultados.

Sobre a liderança da equipa, diz que os resultados do prólogo poderão determinar a estratégia dos dias seguintes.

Contactámos Bruno Pires, diretor desportivo da Glassdrive/ChancePlus/Allegro, equipa da Campeã Nacional e vencedora da Taça de Portugal em elite Cristiana Valente, que assume a ambição de querer discutir a corrida.

Visto que temos uma Campeã Nacional creio que é justo para a própria atleta irmos para esta Voltaa Portugal com a ambição de discutir a corrida, este ano fizemos algumas provas internacionais e a Cristiana Valente mostrou bom nível a competir com ciclistas do pelotão internacional.

Bruno Pires destaca as equipas UCI como a Massi Tactic Women’s Team, ou a Rio Miera Cantabria Deportes, que na sua opinião são equipas favoritas e a ter em conta para a vitória final, pois estão habituadas a um calendário internacional mais completo e de melhor nível que o calendário português.

O diretor desportivo Glassdrive/ChancePlus/Allegro louva o facto de haver mais um dia de competição, realçando no entanto que deveria haver mais dureza no percurso.

Bruno Pires refere que em provas nacionais de juniores ou sub-19 já houve mais montanha (dando como exemplo a chegada ao alto de Montejunto), e que numa corrida de categoria elite, com equipas estrangeiras de escalão UCI apenas existem montanhas de terceira categoria no percurso.

Segundo informação na cerimónia de apresentação, haverá resumos diários das etapas da CMTV.

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

Dia perfeito de Pogacar e da UAE no Giro de Itália

Dia perfeito de Pogacar e da UAE no Giro de Itália

Giro d’Itália 2024 – Etapa 15

Giro d’Itália 2024 – Etapa 15

Giro d’Itália 2024 – Etapa 14 – CRI

Giro d’Itália 2024 – Etapa 14 – CRI

Giro d’Itália 2024 – Etapa 13

Giro d’Itália 2024 – Etapa 13

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais