Tourde France 2021 | Guia TopCycling – Parte 3 | Os candidatos

Tourde France 2021 | Guia TopCycling – Parte 3 | Os candidatos

Estamos a somente 1 dia do início do Tour de France 2021, a mais mediática corrida de ciclismo do planeta, e como sempre no TopCyling procurámos fazer um guia completo com tudo o que precisas saber para acompanhar melhor esta grande corrida, que tem início no próximo sábado dia 26 de junho em Brest e termina dia 18 de julho em Paris.

Por razões óbvias nós portugueses temos ultimamente mais carinho pelo Giro de Itália, também considerada por muitos a mais bela das 3 grande voltas, mas o Tour é o Tour.

O Tour de France é a corrida que faz andar a industria do ciclismo, é o pináculo deste desporto a nível global, a corrida onde todos querem estar, aquela que eterniza e cria os deuses do ciclismo.

Hoje apresentamos os candidatos às várias classificações (camisolas) do Tour de France 2021.

Candidatos

Classificação Geral

Tadej Pogacar

O jovem esloveno é o vencedor da ultima edição do Tour de France, corrida que venceu com total mérito em 2020. Conseguiu vencer o Tour sem ter um bloco de equipa tão forte como os adversários, limitou-se a segui-los nas etapas chave e acabou por vencer a corrida no ultimo contrarrelógio.

Este ano Pogacar já venceu o UAE Tour, o Tirreno Adriatico, a Liege-Bastogne-Liege, e mais recentemente a volta à Eslovénia, encontra-se num esplêndido momento de forma e tem em seu redor um bloco que se pode considerar mais forte que o ano passado.

Primoz Roglic

Esteve em grande nível na ultima edição do Tour, dominando durante quase toda a corrida, mostrando-se consistente e atacante. Teve um dia mau, no pior dia em que isso lhe poderia acontecer, quando dependia somente de si mesmo no ultimo contrarrelógio, tendo perdido a liderança e a corrida nesse dia para Tadej Pogacar.

Este ano a expectativa é grande, principalemte porque Roglic optou por uma estratégia pouco usual, não fez qualquer competição antes do Tour (nos últimos meses), algo que os ciclistas tradicionalmente fazem para adquirir ritmo de competição e testarem a sua forma física.

A ultima competição de Roglic foi em Abril, a Liege-Bastogne-Liege, até então o esloveno ganhou 3 etapas no Paris-Nice e só não venceu a geral por sofrer uma queda, venceu a volta ao País Basco, e fez segundo na Flèche Wallonne. Desde Abril que não há referências de Primoz Roglic.

Ineos Grenadiers

Coloco o nome da equipa e não de um ciclista, porque há um variado lote de opções na Ineos que pode ser considerado favorito.

Richard Carapaz já venceu um Giro de Itália, precisamente num ano em que tinha como líder outro ciclista (Mikel Landa), nesse ano venceu o Giro com uma superioridade soberba, pelo que não se pode descartar essa hipótese para o Equatoriano, que irá realizar o seu segundo Tour de France.

Na Ineos não se faz nada por acaso, planeiam a médio longo prazo e a participação de Carapaz no Tour 2020, na minha opinião foi para preparar 2021.

Geraint Thomas também já tem um Tour de France no currículo, e apesar dos seus 35 anos tem mostrado boas indicações este ano, venceu o a volta à Romandia, fez terceiro na Volta à Catalunha e no Dauphiné.

Arranca como líder da equipa (na teoria), e será com o decorrer das etapas que essa liderança ficará verdadeiramente decidida. A Ineos tem um bloco forte e sente-se que todos estão dispostos a trabalhar seja para quem seja, vermremos o que as dificuldades da estrada reservam a Geraint Thomas, se a liderança, ou o papel de apoio a algum colega de equipa.

Geraint Thomas

Richie Porte fez o seu primeiro pódio numa grande volta o ano passado no Tour 2020, sem grande bloco de apoio na sua equipa de então (TREK-Segafredo).

Este ano todos o apontavam como gregário na Ineos mas a verdade é que apesar dos seus 36 anos o australiano tem mostrado excelentes registos, foi segundo na Volta à Catalunha, segundo na Volta à Romandia e venceu o Dauphiné. Pelas indicações a que nos tem habituado, sabemos que Porte funciona melhor sem a pressão de ter que ser líder à partida (o que não vai acontecer). O ano passado já batalhou contra Pogacar e Roglic, a diferença este ano é a equipa onde está.

Tao Geoghegan Hart é o jovem em ascensão dentro da estrutura da Ineos, o ano passado venceu o giro de Itália mostrando a sua capacidade para as grandes voltas e dependendo dos azares que possam acontecer a outros colegas de equipa, pode ser outra opção para a classificação geral dentro da Ineos.

Os outsiders

Depois existe um lote de ciclistas que não sendo candidatos n.º 1, são ciclistas que se estiverem no seu melhor nível se podem intrometer na luta, como Wilco Kelderman (Bora Hansgrohe), Wout Poels (Bahrain Victorious), Enric Mas e Miguel Angel Lopez (Movistar), ou Rigoberto Uran (EF- Education First).

Montanha

Nesta classificação entram muitas vezes os candidatos à classificação geral (o ano passado foi mesmo Pogacar o vencedor da corrida a vencer esta classificação), não é novidade que ser um bom escalador ajuda a vencer o Tour de France.

Mas quando é necessário ter uma postura mais tática e resguardada por parte dos líderes, outros ciclistas se destacam e focam só nesta classificação.

Como candidatos considero Julian Alaphilippe que já venceu esta classificação, Romain Bardet, Warren Barguil e Rafal Majka que também já venceram recentemente esta camislola.

Temos ainda Michael Woods (Israel-Sart Up Nation), que este ano se tem mostrado em grande nível na montanha, vai liderar a equipa com Chris Froome no seu apoio para o melhor lugar possível no TOP 10, podendo assim entrar na luta por esta classificação, dependendo das circunstâncias de corrida.

Pontos

Peter Sagan

A camisola verde poderia muito bem chamar-se camisola Sagan, o eslovaco tem o record de camisolas verdes nesta competição (mais concretamente 7 vezes: em 2021, 2013, 2014, 2015, 2016, 2018 e 2019), a sua capacidade de superar as dificuldades em etapas de terreno ondulado, aliada à sua rapidez no final levam a que estes números se tenham construído e por isso é o super favorito a esta classificação.

Wout Van Aert

O ciclista belga já mostrou a sua capacidade para vencer ao sprint no tour de France (3 são as etapas que já contam no sei currículo do Tour), também supera bem as etapas de terreno ondulado e se a equipa lhe der liberdade para tentar conseguir esta classificação é certamente um sério candidato.

Mathieu Van der Poel

A questão no que diz respeito a Mathieu van der Poel (MVDP) é só uma, vai o holandês fazer as 3 semanas do tour, ou vai só vencer uma ou duas etapas e ir para casa preparar os jogos olímpicos? Se MVDP for fazer as 3 semanas é sério candidato a vencer esta camisola, será a prova de fogo perante 3 semanas e os homens mais rápidos do mundo, mas ele já provou que tem velocidade ponta para bater muitos deles.

Caleb Ewan

É o sprinter mais forte do Tour de France 2021, em etapas planas de chegadas ao sprint deverá muitas vezes ser o vencedor. A questão em relação à classificação da camisola verde é que as equipas dos outros candidatos podem trabalhar nas etapas de terreno ondulado, no sentido de descartar o australiano para que este não possa disputar o sprint final, seja por ficar para trás ou por chegar desgastado.

Mark Cavendish

Sam Bennet, ultimo vencedor desta classificação não estará presente por lesão, para o seu lugar entrou o “Míssil de Man” Mark Cavendish, mas poderá o britânico de 36 anos estar ombro a ombro com Sagan e companhia? Cavendish passou de “acabado” a vencedor no decorrer deste ano, o ciclismo é um desporto “romântico” onde por vezes acontecem coisas surpreendentes, será o nível do Tour de France muito alto para este tipo de romance?

Sonny Colbrelli

Se o Critérium du Dauphiné serve de referência para o Tour, Colbrelli venceu a camisola verde nessa corrida. É verdade que muitos dos outros aqui referidos não estavam presentes, mas Sonny Colbrelli este ano também já venceu a classificação por pontos na volta à Romandia onde esteve por exemplo, Peter Sagan.

Sonny Colbrelli apresenta-se no Tour de France 2021 no melhor momento de forma da sua carreira, e vem com a camisola de Campeão Nacional italiano vestida.

Michael Matthews

Habitualmente nos lugares cimeiros da classificação por pontos, Michael Matthews vem certamente ao Tour com esse objectivo. Este ano Matthews fez uma boa época de clássicas e terminou o Paris-Nice no quarto posto da classificação por pontos.

Juventude

Esta é a camisola que premeia o ciclista mais jovem (até 25 anos) melhor colocado na classificação geral, e olhando para a start-list das equipas apresentamos, não 3, não 4, não 2, mas 1 candidato. Tadej Pogacar.

Teorias à parte, é a estrada que coloca todos no seu lugar e acabam por haver sempre surpresas, por isso é que o ciclismo é belo e emocionante. Sábado já começamos a saber.

Por: Luís Beltrão

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

TREK First Light – O esquema de cores inspirado no Japão

TREK First Light – O esquema de cores inspirado no Japão

Ciclismo nos Jogos Olímpicos – Canal e horários

Ciclismo nos Jogos Olímpicos – Canal e horários

Colnago V3Rs Capsule Collection – Três edições especiais para venda

Colnago V3Rs Capsule Collection – Três edições especiais para venda

O que nos deixou este Tour de France

O que nos deixou este Tour de France

No Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos