Novidades 2018 – Nova MERIDA Reacto

Novidades 2018 – Nova MERIDA Reacto
Na sua terceira geração, a Merida Reacto surge mais leve, mais confortável, ainda mais aerodinâmica e com travões de disco.

Mais Aero

Segundo os engenheiros da MERIDA, a melhoria aerodinâmica graças a tubos mais finos na construção do quadro, à posição do selim e consequente postura do ciclista mais rebaixados, mais o avanço e guiador integrados dão um ganho de 5% em aerodinâmica ou 8 watts a 45km/h.

Não estamos a falar de uma moto, logo estes números são sempre relativos e dependem de muitas variáveis, mas os testes são feitos em túnel de vento no sentido de melhorarem e evoluírem a bicicleta.

Melhorias evidentes

Uma coisa é certa, o modelo anterior já tinha 3 anos sem nenhum “refresh” e a bicicleta de 2018 parece colmatar algumas lacunas que eram bem visíveis na anterior, como o peso algo excessivo ou simplesmente o sistema de entrada dos cabos no quadro.

À esquerda, no sistema antigo ou os cabos ficavam soltos como na foto e não entravam correctamente no quadro, ou tinham uma peça que os pegava ao avanço, mas com o mexer do guiador gastava as espirais.

À direita, (no sistema que de novo não tem nada) é mais simples e poderá funcionar bem melhor, os cabos vão directos ao tubo diagonal.

No que respeita ao conforto, a bicicleta anterior já era surpreendentemente confortável para o tipo de bicicleta, muito graças ao sistema “s-flex” do espigão de selim.

Na nova Reacto (a Reacto 3) este sistema foi melhorado e de acordo com a MERIDA o conforto melhorou em 10%! Não podemos comprovar os valores indicados, mas olhando para um e para outro, no mínimo mantém-se, o que é óptimo.

A largura do recorte do espigão cresceu, o que supostamente confere mais absorção de vibrações. Além disso o espigão é mais estreito e logo mais aerodinâmico.

Travagem

Outra novidade na Reacto 2018 é a opção de travão de disco, existem sete novos modelos Reacto, cinco dos quais são com essa opção.

O quadro CF4 (especificação do carbono dos modelos topo de gama) com travão de disco é só 30 gr’s. mais pesado que o quadro sem esse sistema de travagem, e a forqueta tem também 30 gr’s. a mais, por serem mais reforçados em algumas zonas.

No quadro CF2 (especificação do carbono dos modelos de gama média), a diferença de peso entre o quadro com ou sem disco é maior, 57 gr’s. no quadro e 40 gr’s. na forqueta respectivamente.

A MERIDA dotou os seus modelos de travão de disco com um sistema de arrefecimento dos mesmo.

É um sistema único da marca que através de uma pequena estrutura de alumínio reduz as temperaturas inerentes da travagem em cerca de 35%, e muito mais rápido do que a pinça isolada, graças à dissipação do aquecimento.

Nos modelos de gama alta (Reacto Team-E, e Reacto 9000-E), a Merida inclui guiador e avanço integrado de origem, tendo sido escolhido o Vision metron 5D (FSA).

As opções disponíveis

Como descrevemos anteriormente, existem dois tipos de carbono à disposição, sendo o CF4 para os modelos de gama alta e o CF2 para os restantes.

Nos modelos de topo há opções de equipamento desde o Shimano Dura-Ace Di2 (Reacto Team-E), passando pelo Sram E-Tap (Reacto 9000-E), Shimano Ultegra Di2 (Reacto 7000-E e 8000-E), até ao Ultegra convencional mecânico (Reacto 6000) e no modelo de carbono mais baixo o Shimano 105 (Reacto 4000).

Por norma os sites só mostram as fotos dos modelos topo de gama, as pessoas chegam à loja, vêem os modelos de gama média e ficam um pouco defraudados.

Deixamos a foto da Reacto 6000 para que vejam como fica a bicicleta com rodas de alumínio, com guiador e avanço normais. Como normalmente, perde um pouco o “charme” principalmente na parte das rodas, mas não deixa de ser uma bicicleta com uma presença forte.

A “dieta”

No que respeita a peso, a Reacto melhorou bastante relativamente ao modelo anterior.

O quadro pesa menos 240gr’s., a forqueta menos 38gr’s., espigão menos 94gr’s., caixa de direcção menos 7,5gr’s., no total são 379,5gr’s a menos no conjunto.

A nova Reacto é das principais novidades de 2018 da MERIDA, é uma bicicleta que é uma referência na gama das AERO, dos primeiros modelos a surgir e que já vai na sua terceira geração.

As melhorias e novidades enchem o olho, tornam a bicicleta mais atraente, mais actual e aparentemente mais prática. Só nos falta experimentar.

 

Mr. B.

 

 

 

 

Noticias relacionadas

‘Matxín’ deixa cargo de director desportivo da UAE Team Emirates na estrada

‘Matxín’ deixa cargo de director desportivo da UAE Team Emirates na estrada

Travessia dos Pirinéus em bicicleta | Episódio 3

Travessia dos Pirinéus em bicicleta | Episódio 3

Ciclismo no Eurosport nos próximos dias

Ciclismo no Eurosport nos próximos dias

Remco Evenepoel na INEOS. Rumor ou realidade?

Remco Evenepoel na INEOS. Rumor ou realidade?

No Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos