Ivo Oliveira: “Disse-lhes que ia ganhar o prólogo e ganhei”

Ivo Oliveira: “Disse-lhes que ia ganhar o prólogo e ganhei”

Ivo Oliveira entrou a vencer na Boucles de la Mayenne e até o irmão Rui parou o trânsito para ajudar. A história no TopCycling!

Foi preciso esperar quatro épocas e meia no WorldTour para Ivo Oliveira conseguir a primeira vitória ao serviço da UAE-Emirates numa prova internacional! Parece fácil ganhar entre os “pros”… mas só parece.

Ivo Oliveira já tinha sido campeão nacional de contrarrelógio (2020) e na pista conquistou seis medalhas em Europeus e Mundiais. Tudo isto em elites para não puxar muito o filme atrás e recordar os resultados em sub-23 e em juniores.

Faltava algo ao gaiense, mas já não falta. Ivo Oliveira entrou a todo o gás na Boucles de la Mayenne e ganhou o prólogo.

“Estive três semanas só a pensar nisto porque quando saiu o percurso vi que eram 4km e um esforço muito parecido com a perseguição individual na pista. Sendo nesse espaço tão curto queria discutir a etapa e disse logo à equipa que fazer 2º não interessava.”

“O meu irmão parou o trânsito

Foram três semanas de trabalho específico com o treinador Kevin Poulton: esforços curtos em estradas sinuosas. Ivo Oliveira não poupou nos detalhes na abordagem à prova francesa.

“Fui muito focado, no dia anterior fui ver as curvas, o meu irmão parou o trânsito para eu fazer as curvas a top e saber onde é que podia arriscar. Quando abriu o percurso para o reconhecimento e enquanto alguns ainda estavam a ver onde é que fazer e não fazer eu já sabia que podia ir a fundo para fazer um teste para a corrida. Tinha dito aos diretores que me deixassem preparar a corrida ao máximo e deixaram-me ficar em casa, não tive que fazer a Volta à Hungria e pude preparar a Boucles de la Mayenne. Disse-lhes que ia ganhar o prólogo e ganhei.”

Amarela durou pouco

A corrida francesa não é simples de ler. Quase todas as etapas finalizam em circuitos e o terreno é irregular. Logo na 1ª etapa em linha Oier Lazkano (Movistar) revirou a geral.

A etapa foi atacada por Ivo Oliveira, Axel Zingle (Cofidis) e Benoit Cosnefroy (Ag2r-Citroen) numa zona de colinas. A Movistar ficou com Lazkano cortado, mas o grupo do camisola amarela foi neutralizado e Lazkano contra-atacou com capacidade para chegar à fuga do dia. A amarela durou pouco no corpo de Ivo Oliveira que passa a ser 2º a 0:42 do corredor da Movistar.

“Há muitas bonificações durante as etapas e a corrida vai-se jogar aí. Eu também sou rápido e posso sprintar nos intermédios. Também me posso meter nos sprints porque as chegadas não são para velocistas puros, mas se não for para mim que seja para outro colega. Vamos tentar!”

Ivo Oliveira ao TopCycling.

Este sábado a Boucles de la Mayenne tem a jornada menos dura – 181,3km e 1165m de acumulado – embora o acesso à meta em Meslay-du-Maine também seja em falso plano. Domingo finaliza em Laval com 167km e 1906m de acumulado, final em circuito ao qual os corredores dão quatro voltas e uma vez mais entrada com certa dureza na meta.

Palmarés de Ivo Oliveira em elites

  • 2022 | 1º prólogo Boucles de La Mayenne
  • 2022 | 3º Mundial perseguição individual (pista)
  • 2020 | Campeão nacional de contrarrelógio
  • 2020 | Campeão da Europa perseguição individual (pista)
  • 2020 | 2º Europeu de madison com Rui Oliveira (pista)
  • 2018 | 2º Mundial perseguição individual (pista)
  • 2018 | 2º Europeu perseguição individual (pista)
  • 2017 | 2º Europeu perseguição individual (pista)

Noticias relacionadas

Paris – Roubaix Challenge | Como ir viver o inferno do norte

Paris – Roubaix Challenge | Como ir viver o inferno do norte

Alice Segre no Desertus Bikus 

Alice Segre no Desertus Bikus 

Loma, o Novo Capacete Specialized

Loma, o Novo Capacete Specialized

Um português e um belga entram num bar

Um português e um belga entram num bar

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais