Daniela Campos e Raquel Queirós mostram o caminho

Daniela Campos e Raquel Queirós mostram o caminho

Há 31 anos que uma portuguesa não vencia uma corrida UCI. Da Volta à Guatemala ao XCO de Torrenueva, a crónica do dia inédito do ciclismo nacional.

Ver uma ciclista portuguesa a ganhar uma corrida no estrangeiro é raro. Que duas o façam no mesmo dia deve ser inédito. Aconteceu este domingo, em disciplinas distintas.

As protagonistas são talentos multidisciplinares: Daniela Campos faz estrada e pista, já Raquel Queirós concilia mountain bike e estrada.

Primeira vitória UCI de uma ciclista portuguesa?

Começamos por Daniela Campos que venceu ao sprint a etapa final da Volta à Guatemala. A corredora da Eneicate viu ainda a colega Valentina Basilico vencer a Volta.

A prova de categoria 2.2 leva-nos a perguntar: é esta a primeira vitória UCI na história do ciclismo feminino português?

O TopCycling consultou várias fontes e antigas ciclistas. Concluímos que só há precedentes com Ana Barros, na década de 1990. A Federação Portuguesa de Ciclismo atribui à vianense 39 vitórias entre 1989 e 1996 sem detalhar os eventos. Aqui entra a preciosa ajuda da Isabel Fernandes, comentadora Eurosport.

Graças a jornais da época e classificações do GP Tensai de 1992 descobrimos que Ana Barros venceu a 5ª e última etapa perante a neerlandesa Elsbeth Vink. Foi na chegada a Lisboa após 74 km de percurso percorridos a 40,4 km/h de média.

Também ganhou o prólogo na edição de 1993, conforme a própria Ana Barros nos confirmou. Tinha tanto talento que batia atletas que faziam o triplo dos quilómetros por época! Elsbeth Vink, por exemplo, correu na Rabobank e na Farm Frites, venceu a Volta à Holanda e uma etapa na Volta à França de 1993.

Importa contextualizar que o GP Tensai era um evento UCI. O regulamento da prova até está escrito no francês oficial da UCI e sabemos disso porque a Isabel Fernandes o tem no arquivo.

Da atual geração nem Maria Martins nem Daniela Reis venceram provas UCI. Também nada a registar na era de Isabel Caetano, Esther Alves ou Irina Garcia – dominadoras dos Nacionais entre 2002 e 2012.

Raquel Queirós impôs-se em Torrenueva

Boas notícias também vindas de Espanha: Raquel Queirós impôs-se em Torrenueva, localidade costeira situada perto de Granada.

A vilacondense ganhou o cross-country olímpico (XCO) numa prova de classe 2 pontuável para o ranking UCI, no qual ocupa a 48ª posição.

A mountain biker representou Portugal nos Jogos Olímpicos de Tóquio e corre este ano na BH Coloma Team. Raquel Queirós foi 7ª em Chelva e 15ª em Banyoles, eventos da máxima categoria (classe HC) disputados em Espanha.

Na estrada fez história ao vencer a 1ª Volta a Portugal em Bicicleta Feminina, em 2021.

Noticias relacionadas

Os novos sapatos de BTT Ride Concepts Livewire

Os novos sapatos de BTT Ride Concepts Livewire

Taça do Mundo de XCO | Ronda 1 | Mairiporã, Brasil

Taça do Mundo de XCO | Ronda 1 | Mairiporã, Brasil

João Almeida nas clássicas das Ardenas | Dias e horários das transmissões no Eurosport

João Almeida nas clássicas das Ardenas | Dias e horários das transmissões no Eurosport

Paris – Roubaix Challenge | Como ir viver o inferno do norte

Paris – Roubaix Challenge | Como ir viver o inferno do norte

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais