Tour de France 2021 – Guia completo

Tour de France 2021 – Guia completo

Tour de France 2021, a mais mediática corrida de ciclismo do planeta, e como sempre no TopCyling procurámos fazer um guia completo com tudo o que precisas saber para acompanhar melhor esta grande corrida, que tem início no sábado dia 26 de junho em Brest e termina dia 18 de julho em Paris.

Por razões óbvias nós portugueses temos ultimamente mais carinho pelo Giro de Itália, também considerada por muitos a mais bela das 3 grande voltas, mas o Tour é o Tour.

O Tour de France é a corrida que faz andar a industria do ciclismo a nível mundial, é o pináculo deste desporto a nível global, a corrida onde todos querem estar, aquela que eterniza e cria os deuses do ciclismo.

As equipas, bicicletas e componentes

Ag2r Citroën Team

Ciclistas

  • COSNEFROY Benoît
  •  VAN AVERMAET Greg
  •  PARET-PEINTRE Aurélien
  •  O’CONNOR Ben
  •  PETERS Nans
  •  NAESEN Oliver
  •  SCHÄR Michael
  •  GODON Dorian

Bicicleta: BMC
Transmissão: Campagnolo
Rodas: Campagnolo

Astana Premier tech

Ciclistas

  •  ARANBURU Alex
  •  DE BOD Stefan
  •  FRAILE Omar
  •  FUGLSANG Jakob
  •  GRUZDEV Dmitriy
  •  HOULE Hugo
  •  IZAGIRRE Ion
  •  LUTSENKO Alexey

Bicicleta: Willier
Transmissão: Shimano
Rodas: Corima

Bahrain-Victorious

Ciclistas

  • BILBAO Pello
  • COLBRELLI Sonny
  • HAIG Jack
  • TEUNS Dylan
  • POELS Wout
  • MOHORIČ Matej
  • WRIGHT Fred
  • HALLER Marco

Bicicleta: Merida
Transmissão: Shimano
Rodas: Vision

Bora-Hansgrohe

Ciclistas

  • OSS Daniel
  •  PÖSTLBERGER Lukas
  •  SCHELLING Ide
  •  KELDERMAN Wilco
  •  SAGAN Peter
  •  POLITT Nils
  •  BUCHMANN Emanuel
  •  KONRAD Patrick

Bicicleta: Specialized
Transmissão: Shimano
Rodas: Roval

Cofidis, Solutions Crédits

Ciclistas

  •  MARTIN Guillaume
  •  LAPORTE Christophe
  •  HERRADA Jesús
  •  PEREZ Anthony
  •  GESCHKE Simon
  •  PÉRICHON Pierre-Luc
  •  WALLAYS Jelle
  • FERNANDÉZ Rubén

Bicicleta: De Rosa
Transmissão: Campagnolo
Rodas: Fulcrum

Deceuninck – Quick-Step

Ciclistas

  • ALAPHILIPPE Julian
  •  ASGREEN Kasper
  •  BALLERINI Davide
  •  CATTANEO Mattia
  •  CAVENDISH Mark
  •  DECLERCQ Tim
  •  DEVENYNS Dries
  •  MØRKØV Michael

Bicicleta: Specialized
Transmissão: Shimano
Rodas: Roval

EF Education-Nippo

Ciclistas

  • POWLESS Neilson
  • CORT Magnus
  • VALGREN Michael
  • URÁN Rigoberto
  • HIGUITA Sergio
  • BISSEGGER Stefan
  • GUERREIRO Ruben
  • RUTSCH Jonas

Bicicleta: Cannondale
Transmissão: Shimano
Rodas: Vision

Groupama – FDJ

Ciclistas

  • ARMIRAIL Bruno
  •  DÉMARE Arnaud
  •  GAUDU David
  •  GUARNIERI Jacopo
  •  KONOVALOVAS Ignatas
  •  KÜNG Stefan
  •  MADOUAS Valentin
  •  SCOTSON Miles

Bicicleta: Lapierre
Transmissão: Shimano
Rodas: Shimano

Ineos Grenadiers

Ciclistas

  • CARAPAZ Richard
  • CASTROVIEJO Jonathan
  • GEOGHEGAN HART Tao
  • KWIATKOWSKI Michał
  • PORTE Richie
  • ROWE Luke
  • THOMAS Geraint
  • VAN BAARLE Dylan

Bicicleta: Pinarello
Transmissão: Shimano
Rodas: Shimano

Intermarché-Wanty Gobert Matériaux

Ciclistas

  • VAN POPPEL Danny
  • VAN POPPEL Boy
  • BAKELANTS Jan
  • VLIEGEN Loïc
  • ZIMMERMAN Georg
  • MEINTJES Louis
  • KOCH Jonas
  • ROTA Lorenzo

Bicicleta: Cube
Transmissão: Shimano
Rodas: Newmen

Israel Start-Up Nation

Ciclistas

  • BOIVIN Guillaume
  •  FROOME Chris
  •  HOLLENSTEIN Reto
  •  GOLDSTEIN Omer
  •  GREIPEL André
  •  ZABEL Rick
  •  MARTIN Dan
  •  WOODS Michael

Bicicleta: Factor
Transmissão: Shimano
Rodas: Black inc

Jumbo-Visma

Ciclistas

  • VAN AERT Wout
  • ROGLIČ Primož
  • TEUNISSEN Mike
  • GESINK Robert
  • VINGEGAARD Jonas
  • MARTIN Tony
  • KUSS Sepp
  • KRUIJSWIJK Steven

Bicicleta: Cervélo
Transmissão: Shimano
Rodas: Shimano

Lotto-Soudal

Ciclistas

  • EWAN Caleb
  • DE BUYST Jasper
  • VAN DER SANDE Tosh
  • DE GENDT Thomas
  • KLUGE Roger
  • GILBERT Philippe
  • SWEENY Harry
  • VAN MOER Brent

Bicicleta: Ridley
Transmissão: Campagnolo
Rodas: Campagnolo

Movistar Team

Ciclistas

  • VALVERDE Alejandro
  • VERONA Carlos
  • MAS Enric
  • ERVITI Imanol
  • GARCÍA CORTINA Iván
  • ARCAS Jorge
  • SOLER Marc
  • LÓPEZ Miguel Ángel

Bicicleta: Canyon
Transmissão: SRAM
Rodas: Zipp

Team BikeExchange

Ciclistas

  • DURBRIDGE Luke
  • JUUL-JENSEN Christopher
  • MEZGEC Luka
  • YATES Simon
  • CHAVES Esteban
  • MATTHEWS Michael
  • JANSEN Amund Grøndahl
  • HAMILTON Lucas

Bicicleta: Bianchi
Transmissão: Shimano
Rodas: Shimano

Team DSM

Ciclistas

  •  PEDERSEN Casper
  •  BENOOT Tiesj
  •  EEKHOFF Nils
  •  KRAGH ANDERSEN Søren
  •  NIEUWENHUIS Joris
  •  BOL Cees
  •  SUTTERLIN Jasha
  • DONOVAN Mark

Bicicleta: Scott
Transmissão: Shimano
Rodas: Shimano

Team Qhubeka-Assos

Ciclistas

  • CLARKE Simon
  • GOGL Michael
  • CAMPENAERTS Victor
  • WALSCHEID Max
  • BENNETT Sean
  • DLAMINI Nic
  • HENAO Sergio
  • BARBERO Carlos

Bicicleta: BMC
Transmissão: Shimano/Rotor
Rodas: Hunt

Trek-Segafredo

Ciclistas

  • SKUJIŅŠ Toms
  • THEUNS Edward
  • ELISSONDE Kenny
  • NIBALI Vincenzo
  • PEDERSEN Mads
  • MOLLEMA Bauke
  • STUYVEN Jasper
  • BERNARD Julien

Bicicleta: Trek
Transmissão: SRAM
Rodas: Bontrager

UAE Team Emirates

Ciclistas

  •  HIRSCHI Marc
  •  FORMOLO Davide
  •  BJERG Mikkel
  •  COSTA Rui
  •  POGAČAR Tadej
  •  MAJKA Rafał
  •  LAENGEN Vegard
  •  MCNULTY Brandon

Bicicleta: Colnago
Transmissão: Campagnolo
Rodas: Campagnolo

Alpecin-Fenix

Ciclistas

  • VAKOČ Petr
  • SBARAGLI Kristian
  • MERLIER Tim
  • MEURISSE Xandro
  • VAN DER POEL Mathieu
  • DILLIER Silvan
  • PHILIPSEN Jasper
  • RICKAERT Jonas

Bicicleta: Canyon
Transmissão: Campagnolo
Rodas: Campagnolo

BB Hotels

Ciclistas

  • ROLLAND Pierre
  • PACHER Quentin
  • CHEVALIER Maxime
  • BONNAMOUR Franck
  • BARTHE Cyril
  • GAUTIER Cyril
  • LEMOINE Cyril
  • COQUARD Bryan

Bicicleta: KTM
Transmissão: Shimano
Rodas: DT SWISS

Arkea Samsic

Ciclistas

  • BOUHANNI Nacer
  • GESBERT Élie
  • QUINTANA Nairo
  • BARGUIL Warren
  • DELAPLACE Anthony
  • SWIFT Connor
  • RUSSO Clément
  • MCLAY Daniel

Bicicleta: Canyon
Transmissão: Shimano
Rodas: Shimano

Total Energie

Ciclistas

  • LATOUR Pierre
  • TURGIS Anthony
  • DE LA PARTE Víctor
  • RODRÍGUEZ Cristián
  • BOASSON HAGEN Edvald
  • SIMON Julien
  • DOUBEY Fabien
  • CABOT Jérémy

Bicicleta: Willier
Transmissão: Shimano
Rodas: Ursus

NOTA: À data do artigo ainda há equipas que não confirmaram os 8 ciclistas que irão alinhar no Tour. (Em actualização).

Perfil e descrição das etapas

Etapa 1 – MELHO > LANDERNEAU

Por norma a primeira etapa é plana, mas este ano a festa começa com uma etapa difícil e os últimos quilómetros em subida podem determinar um primeiro camisola amarela que não seja um sprinter puro. Um dia que encaixa bem a Julian Alaphilippe por exemplo.

Etapa 2 – PERROS-GUIREC > MÛR-DE-BRETAGNE GUERLÉDAN

A segunda etapa acaba por ser um pouco à imagem da primeira, com algumas contagens de montanha e os últimos 2 quilómetros também em subida. Nestas etapas, vai certamente haver espetáculo tendo em conta o nervosismo típico do início do Tour de France.

Etapa 3 – LORIENT > PONTIVY

A etapa 3 pode ser a primeira para os sprinters, ainda que tenha um perfil ondulado, pelo que alguns deles podem ser descartados pelo caminho e não poder disputar o sprint final.

Etapa 4 – REDON > FOUGÈRES

A etapa 4 não 100% plana mas será a primeira oportunidade das equipas dos velocistas puros. Aqueles que não conseguiram a vitória nos dias anteriores vão ter que colocar aqui todas as fichas para começar a vencer.

Etapa 5 – Contrarrelógio individual – CHANGÉ > LAVAL ESPACE MAYENNE

Nos quase 27 km’s de contrarrelógio individual, já se poderão ver diferenças entre os candidatos à classificação geral. Se nas primeiras etapas não houver mexidas entre os homens da classificação geral este é o primeiro da em que se podem ver as primeiras diferenças.

Etapa 6 – TORNEIO > CHÂTEAUROUX

A etapa 6 é a mais plana das primeiras 6, são 143 km’s com menos de 1000 mas. de desnível acumulado, um dia claramente para sprinters.

Etapa 7 – VIERZON > LE CREUSOT

Se no dia anterior a etapa não passa os 1000 mas. de desnível acumulado, na etapa 7 são 3111 mts. de desnível que esperam os ciclistas nos 247,5 km’s. As subidas a Côte de la Croix de la Libération (2,5 km @ 7,3%), Signal d’Uchon (5,7 km @ 5,6%) e a Côte de Montcenis (2,5 km @ 5,1%) podem proporcionar espetáculo num dia longo em cima da bicicleta tendo em conta os 248 km’s.

Etapa 8 – OYONNAX > LE GRAND-BORNAND

A etapa do dia anterior é só o aperitivo para as duas etapas seguintes. A etapa 8 será a primeira etapa de montanha a sério, são 151 km’s com 3560 mts. de desnível acumulado, incluindo subidas longas e inclinadas como o Col de Romme (9,1km @ 8,9%) e o Col de la Colombiere (7,4km @ 8,5%), seguidas de uma descida final 15 km’s que também pode causar surpresas.

Etapa 9 – CLUSOS > TIGNES

A dureza da etapa 9 pode desencorajar ataques e mexidas nos dias anteriores, quem chegar aqui debilitado pode perder o Tour, é a primeira etapa monstruosa deste Tour de France. Uma etapa com 4624 mts. de desnível acumulado condensados em 145 km’s, sendo que subida final tem 21 km’s com uma média de inclinação de 5,6%. onde o desgaste provocado pelos dias e subidas anteriores pode ser determinante.

Os ciclistas terão um dia de descanso merecido no dia seguinte.

Etapa 10 – ALBERTVILLE > VALENCE

A etapa 10 surge após o primeiro dia de descanso, é esperado que seja mais um dia de descanso para as equipas candidatas à classificação geral. Uma etapa onde as equipas dos sprinters procurarão controlar a corrida para lançar o seu velocista no final.

Etapa 11 – SORGUES > MALAUCÈNE

O postal de apresentação da etapa 11 é o seguinte: subir duas vezes o Mont Ventoux. (pela primeira vez na história do tour de France). Uma etapa de 200 km’s. com 4647 mts. de desnível acumulado e com a particularidade de terminar com a descida do Mont Ventoux, 17 km’s de descida que podem ser preponderantes na estratégia das equipas.

Etapa 12 – SAINT-PAUL-TROIS-CHÂTEAUX > NÎMES

161 km’s com 2000 mts. de acumulado podem encorajar muitas equipas a apostar na fuga. Pode também ser uma etapa propícia para sprinters, embora os 2000 mts. de acumulado ao longo da etapa possa fazer com que cheguem desgastados ao final.

Etapa 13 – NÎMES > CARCASSONNE

Outro dia rolante propício às fugas ou para um final ao sprint. A extensão de 220 km’s poderá obrigar as equipas dos sprinters a trabalhar para não deixar as fugas ganharem muito tempo.

Etapa 14 – CARCASSONNE > QUILÃO

Um dia ondulado no qual os candidatos da classificação geral poderiam atacar, mas dureza da etapa seguinte e o facto desta etapa acabar em descida pode desencorajar esses ataques.

Etapa 15 – CÉRET > ANDORRA LA VELLA

Nova etapa de alta montanha onde poderemos ver mexidas entre os homens das classificação geral. Os 191 km’s. deste dia nos Pirinéus terão 4574 mts. de desnível acumulado, onde os ciclistas estarão em alguns pontos acima dos 2000 mts. de altitude, pelo que se espera uma batalha no controle da corrida, entre as equipas candidatas à classificação geral.

Após esta etapa os ciclistas desfrutarão de mais um merecido dia de descanso, o ultimo antes da semana decisiva.

Etapa 16 – EL PAS DE LA CASA > SAINT-GAUDENS

A batalha dos Pirinéus continua, na entrada da ultima semana da corrida nova etapa de alta montanha, um pouco mais suave que anterior mas onde o desgaste das primeiras duas semanas de prova se farão notar.

Etapa 17 – MURET > COL DU PORTET

Etapa com chegada em alto! Não haverá muitas assim no Tour deste ano como podem verificar, e estando já na ultima semana da corrida, com a subida final ao Col de Portet, com 16,3km e uma inclinação média de 8,6% será o dia e local propícios para se fazerem as movimentações decisivas entre os candidatos à classificação geral.

Etapa 18 – PAU > LUZ ARDIDEN

Ultima etapa de montanha no tour de France 2021. No menu do dia os ciclistas têm à sua espera o Col du Tourmalet e Luz Ardiden, numa etapa de somente 130 km’s mas com 3555 mts. de desnível acumulado. Quem quiser e tiver capacidade de fazer diferenças na montanha, tem neste dia a sua última oportunidade, pelo que se esperam muitas batalhas entre todos os que querem ficar no TOP 10.

Etapa 19 – MOURENX > LIBOURNE

Esta será uma etapa onde se espera que as equipas e homens da classificação geral recuperem um pouco as pernas após as duras etapas dos Pirinéus, tendo em conta que no dia seguinte têm um importante contrarrelógio. Por outro lado, as equipas dos velocistas voltam a entrar em cena e têm aqui a penúltima oportunidade para brilhar no Tour de France.

Etapa 20 – Contrarrelógio individual – LIBOURNE > SÃO-EMILHÃO

Dependendo das diferenças que haja entre os favoritos à vitória, o dia de contrerrelógio pode ser, ou não , dia de emoções fortes (recordemos a edição de 2020). É a oportunidade para os ciclistas da classificação geral tentarem melhorar o resultado, ou evitar ser alcansados. 31 km’s é uma extensão suficiente para criar algumas diferenças de tempo e é neste dia que saberemos quem vencerá o Tour de France 2021.

Etapa 21 – CHATOU > PARIS CHAMPS-ÉLYSÉES

O típico dia da coroação dos vencedores do Tour de France, e também o sprint mais mediático e importante do mundo do ciclismo, vencer nos Campos Elísios é um marco para qualquer velocista do pelotão internacional.

Candidatos

Classificação Geral

Tadej Pogacar

O jovem esloveno é o vencedor da ultima edição do Tour de France, corrida que venceu com total mérito em 2020. Conseguiu vencer o Tour sem ter um bloco de equipa tão forte como os adversários, limitou-se a segui-los nas etapas chave e acabou por vencer a corrida no ultimo contrarrelógio.

Este ano Pogacar já venceu o UAE Tour, o Tirreno Adriatico, a Liege-Bastogne-Liege, e mais recentemente a volta à Eslovénia, encontra-se num esplêndido momento de forma e tem em seu redor um bloco que se pode considerar mais forte que o ano passado.

Primoz Roglic

Esteve em grande nível na ultima edição do Tour, dominando durante quase toda a corrida, mostrando-se consistente e atacante. Teve um dia mau, no pior dia em que isso lhe poderia acontecer, quando dependia somente de si mesmo no ultimo contrarrelógio, tendo perdido a liderança e a corrida nesse dia para Tadej Pogacar.

Este ano a expectativa é grande, principalemte porque Roglic optou por uma estratégia pouco usual, não fez qualquer competição antes do Tour (nos últimos meses), algo que os ciclistas tradicionalmente fazem para adquirir ritmo de competição e testarem a sua forma física.

A ultima competição de Roglic foi em Abril, a Liege-Bastogne-Liege, até então o esloveno ganhou 3 etapas no Paris-Nice e só não venceu a geral por sofrer uma queda, venceu a volta ao País Basco, e fez segundo na Flèche Wallonne. Desde Abril que não há referências de Primoz Roglic.

Ineos Grenadiers

Coloco o nome da equipa e não de um ciclista, porque há um variado lote de opções na Ineos que pode ser considerado favorito.

Richard Carapaz já venceu um Giro de Itália, precisamente num ano em que tinha como líder outro ciclista (Mikel Landa), nesse ano venceu o Giro com uma superioridade soberba, pelo que não se pode descartar essa hipótese para o Equatoriano, que irá realizar o seu segundo Tour de France.

Na Ineos não se faz nada por acaso, planeiam a médio longo prazo e a participação de Carapaz no Tour 2020, na minha opinião foi para preparar o líder de 2021.

Geraint Thomas também já tem um Tour de France no currículo, e apesar dos seus 35 anos tem mostrado boas indicações este ano, venceu o a volta à Romandia, fez terceiro na Volta à Catalunha e no Dauphiné.

Arranca como líder da equipa (na teoria), e será com o decorrer das etapas que essa liderança ficará verdadeiramente decidida. A Ineos tem um bloco forte e sente-se que todos estão dispostos a trabalhar seja para quem seja, vermremos o que as dificuldades da estrada reservam a Geraint Thomas, se a liderança, ou o papel de apoio a algum colega de equipa.

Geraint Thomas

Richie Porte fez o seu primeiro pódio numa grande volta o ano passado no Tour 2020, sem grande bloco de apoio na sua equipa de então (TREK-Segafredo).

Este ano todos o apontavam como gregário na Ineos mas a verdade é que apesar dos seus 36 anos o australiano tem mostrado excelentes registos, foi segundo na Volta à Catalunha, segundo na Volta à Romandia e venceu o Dauphiné. Pelas indicações a que nos tem habituado, sabemos que Porte funciona melhor sem a pressão de ter que ser líder à partida (o que não vai acontecer). O ano passado já batalhou contra Pogacar e Roglic, a diferença este ano é a equipa onde está.

Tao Geoghegan Hart é o jovem em ascensão dentro da estrutura da Ineos, o ano passado venceu o giro de Itália mostrando a sua capacidade para as grandes voltas e dependendo dos azares que possam acontecer a outros colegas de equipa, pode ser outra opção para a classificação geral dentro da Ineos.

Os outsiders

Depois existe um lote de ciclistas que não sendo candidatos n.º 1, são ciclistas que se estiverem no seu melhor nível se podem intrometer na luta, como Wilco Kelderman (Bora Hansgrohe), Wout Poels (Bahrain Victorious), Enric Mas e Miguel Angel Lopez (Movistar), ou Rigoberto Uran (EF- Education First).

Montanha

Nesta classificação entram muitas vezes os candidatos à classificação geral (o ano passado foi mesmo Pogacar o vencedor da corrida a vencer esta classificação), não é novidade que ser um bom escalador ajuda a vencer o Tour de France.

Mas quando é necessário ter uma postura mais tática e resguardada por parte dos líderes, outros ciclistas se destacam e focam só nesta classificação.

Como candidatos considero Julian Alaphilippe que já venceu esta classificação, Romain Bardet, Warren Barguil e Rafal Majka que também já venceram recentemente esta camislola.

Temos ainda Michael Woods (Israel-Sart Up Nation), que este ano se tem mostrado em grande nível na montanha, vai liderar a equipa com Chris Froome no seu apoio para o melhor lugar possível no TOP 10, podendo assim entrar na luta por esta classificação, dependendo das circunstâncias de corrida.

Pontos

Peter Sagan

A camisola verde poderia muito bem chamar-se camisola Sagan, o eslovaco tem o record de camisolas verdes nesta competição (mais concretamente 7 vezes: em 2021, 2013, 2014, 2015, 2016, 2018 e 2019), a sua capacidade de superar as dificuldades em etapas de terreno ondulado, aliada à sua rapidez no final levam a que estes números se tenham construído e por isso é o super favorito a esta classificação.

Wout Van Aert

O ciclista belga já mostrou a sua capacidade para vencer ao sprint no tour de France (3 são as etapas que já contam no sei currículo do Tour), também supera bem as etapas de terreno ondulado e se a equipa lhe der liberdade para tentar conseguir esta classificação é certamente um sério candidato.

Mathieu Van der Poel

A questão no que diz respeito a Mathieu van der Poel (MVDP) é só uma, vai o holandês fazer as 3 semanas do tour, ou vai só vencer uma ou duas etapas e ir para casa preparar os jogos olímpicos? Se MVDP for fazer as 3 semanas é sério candidato a vencer esta camisola, será a prova de fogo perante 3 semanas e os homens mais rápidos do mundo, mas ele já provou que tem velocidade ponta para bater muitos deles.

Caleb Ewan

É o sprinter mais forte do Tour de France 2021, em etapas planas de chegadas ao sprint deverá muitas vezes ser o vencedor. A questão em relação à classificação da camisola verde é que as equipas dos outros candidatos podem trabalhar nas etapas de terreno ondulado, no sentido de descartar o australiano para que este não possa disputar o sprint final, seja por ficar para trás ou por chegar desgastado.

Mark Cavendish

Sam Bennet, ultimo vencedor desta classificação não estará presente por lesão, para o seu lugar entrou o “Míssil de Man” Mark Cavendish, mas poderá o britânico de 36 anos estar ombro a ombro com Sagan e companhia? Cavendish passou de “acabado” a vencedor no decorrer deste ano, o ciclismo é um desporto “romântico” onde por vezes acontecem coisas surpreendentes, será o nível do Tour de France muito alto para este tipo de romance?

Sonny Colbrelli

Se o Critérium du Dauphiné serve de referência para o Tour, Colbrelli venceu a camisola verde nessa corrida. É verdade que muitos dos outros aqui referidos não estavam presentes, mas Sonny Colbrelli este ano também já venceu a classificação por pontos na volta à Romandia onde esteve por exemplo, Peter Sagan.

Sonny Colbrelli apresenta-se no Tour de France 2021 no melhor momento de forma da sua carreira, e vem com a camisola de Campeão Nacional italiano vestida.

Michael Matthews

Habitualmente nos lugares cimeiros da classificação por pontos, Michael Matthews vem certamente ao Tour com esse objectivo. Este ano Matthews fez uma boa época de clássicas e terminou o Paris-Nice no quarto posto da classificação por pontos.

Juventude

Esta é a camisola que premeia o ciclista mais jovem (até 25 anos) melhor colocado na classificação geral, e olhando para a start-list das equipas apresentamos, não 3, não 4, não 2, mas 1 candidato. Tadej Pogacar.

Teorias à parte, é a estrada que coloca todos no seu lugar e acabam por haver sempre surpresas, por isso é que o ciclismo é belo e emocionante. Sábado já começamos a saber.

Onde ver

Do quilómetro zero até à meta só no Eurosport!

Em 2017, o Eurosport transmitiu pela primeira vez a totalidade das etapas do Tour do primeiro ao último quilómetro na televisão e on-line através da App do Eurosport.

Vão ser três semanas de grande emoção e vai poder seguir tudo no Eurosport – A Casa do Ciclismo, em direto, e do quilómetro zero até à meta.

São mais de 100 horas de transmissão em direto da prova rainha do ciclismo mundial com a análise de alguns dos melhores especialistas do mundo como Bradley Wiggins, Alberto Contador ou Juan Antonio Flecha.

Em Portugal a equipa de comentadores é composta por Luís Piçarra, Paulo Martins, Olivier Bonanici, José Azevedo e Gonçalo Moreira.

Por: Luís Beltrão

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

TREK First Light – O esquema de cores inspirado no Japão

TREK First Light – O esquema de cores inspirado no Japão

Ciclismo nos Jogos Olímpicos – Canal e horários

Ciclismo nos Jogos Olímpicos – Canal e horários

Colnago V3Rs Capsule Collection – Três edições especiais para venda

Colnago V3Rs Capsule Collection – Três edições especiais para venda

O que nos deixou este Tour de France

O que nos deixou este Tour de France

No Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos