Tom Pidcock – Não sei se estarei no Campeonato do Mundo de Ciclocrosse

Tom Pidcock – Não sei se estarei no Campeonato do Mundo de Ciclocrosse

Tom Pidcock é o actual Campeão do Mundo de Ciclocrosse, mas talvez uma temporada de clássicas menos boa em 2022 altere os planos do jovem britânico da Ineos Grenadiers em relação ao Ciclocrosse para 2023.

Conceito multidisciplinar tem limites

Cada vez mais as equipas contratam ciclistas multidisciplinares para estar presentes nas várias disciplinas do ciclismo, são os exemplos mais mediáticos, Mathieu Va der Poel, Wout Vam Aert e Tom Piscock, mas há outros.

Recordemos que na passada temporada os campeonatos do Mundo se realizaram em Fayetteville (EUA), obrigando os ciclistas a deslocações longas, algo que pode atrapalhar o ritmo e planeamento dos treinos de pré-temporada, esquematizados “ao milímetro” com vista a objectivos futuros.

Por exemplo Wout Van Aert, escolheu criteriosamente as corridas de Ciclocrosse que iria fazer, naquelas em que participou esteve sempre num nível soberbo (vencendo todas), mas ainda assim abdicou dos Campeonatos do Mundo para chegar bem ao seu objectivo no início do ano, que eram as clássicas.

Havendo uma relação directa ou não, Tom Pidcock fez os Campeonatos do Mundo, sagrou-se Campeão do Mundo de Ciclocrosse mas acabou por não conseguir grande rendimento nas clássicas da primavera.

A Taça do Mundo de XCO (BTT) também não teve expressão em 2022 (ainda que Pidcock tenha sido Campeão Olímpico em 2021) , e depois o ciclista precisou de descanso mental.

Clássicas são prioridade no início de 2023

Os pontos atos de Tom Pidcock em 2022 foram o Campeonato do Mundo de Ciclocrosse, e no Tour de France, a vitºoria na etapa do Alpe d’Huez, o que ainda assim não é pouco.

Mas parece que o planeamento para 2023 está a requerer algum cuidado, Tom Pidcock vai aos poucos tendo uma ideia do seu programa, mas pensa principalmente nas clássicas. 

Pidcock foi para os EUA em setembro, onde fez tratamento ao joelho. Regressa agora e está a começar a preparar a sua temporada de Ciclocrosse.

“Dentro de 3 a 4 semanas vou fazer o primeiro Ciclocrosse” … “Ainda não tenho a certeza de como será meu planeamento, vou fazer Ciclocrosse mas quantas corridas, ainda não sei…”

disse Pidcock, que esteve presente na apresentação do Tour hoje.

Estará Pidcock em Hoogerheide 2023 para defender o título mundial de Ciclocrosse?

“Ainda não sei. Fazer Ciclocrosse no inverno e estar bem nas clássicas é uma combinação difícil, e quero estar bem preparado para as clássicas da primavera.”

disse Pidcock

Para já o jovem britânico parece querer procurar uma receita diferente para 2023, colocando como primeiro objectivo as clássicas da primavera, em vez do Ciclocrosse, resta saber se poderá conciliar a corrida do Campeonato do Mundo (que este ano se realiza na Europa), com a preparação para as clássicas.

Por: Luís Beltrão

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais YoutubeInstagramTwitter e Facebook.

Noticias relacionadas

Trek Domane SLR 7 | Teste

Trek Domane SLR 7 | Teste

Peter Sagan anuncia final de carreira

Peter Sagan anuncia final de carreira

O piloto de Moto GP Miguel Oliveira, participará no  Race Nature Albufeira

O piloto de Moto GP Miguel Oliveira, participará no Race Nature Albufeira

Maiorca foi talismã para Rui Costa… outra vez

Maiorca foi talismã para Rui Costa… outra vez

No Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos