É disto que o meu povo gosta, Tadej!

É disto que o meu povo gosta, Tadej!

Pogacar na Strade Bianche, Ayuso no Tirreno-Adriático e o capacete da Visma. O ciclismo narrado ao estilo de Jorge Perestrelo.

Vivem-se dias de euforia na UAE Emirates. Tadej Pogacar venceu a Strade Bianche atacando a 81 km da meta e fez o maior solo na era ProTour/WorldTour numa prova de um dia!

Desporto é emoção e um grito na altura certa provoca um arrepio na espinha. Vem-me à memória o jornalista Jorge Perestrelo, que de provocar emoções sabia tudo.

Imaginem por um momento que vivemos num universo paralelo. A icónica voz da TSF narra o ataque de Pogacar no Monte Sante Marie: “Que os Deuses do ciclismo estejam contigo. É disto que o meu povo gosta, Tadej!”

Créditos: Marco Alpozzi/Lapresse

A rapaqueca é a bike

Como reagiria a voz da TSF ao ver Juan Ayuso bater dois campeões olímpicos como Filippo Gana e Jonatan Milan… num contrarrelógio… em Itália? Com o bónus de meter 22 segundos a Jonas Vingegaard, que no Tour fez a maior exibição num crono que ha memória!

No ciclismo não há bola, mas imaginemos que a rapaqueca é a bike. “É golo, é golo, é golo, é golo, é golo! Gooooolo da UAE… Juan Ayuuuuuso ripa na rapaqueca!”

E o que se ia rir com o novo capacete da Visma? “Meu Deus, eu não acredito… Com esse capacete nem que o jacaré tussa!”

Créditos: La Presse

Trazer para o desporto o lado metafísico da vida

A nova geração não cresceu com estes relatos. Perestrelo morreu em 2005. Eu tive a sorte de o ouvir invocar o sagrado, relacionar amor e bola, no fundo trazer para o desporto o lado metafísico da vida.

Num momento inusitado, quando um craque não rendia, o mestre estava lá para pontuar com humor a situação.

“O que é que isso, ó Alaphilippe? O que é que é isso, ó Jakobsen?” Nem o francês da Soudal acaba uma corrida de pé – caiu na Omloop e na Strade – nem o neerlandês patrão da dsm ganha um sprint.

E o que aconteceu no Gran Camiño? Três vitórias em três etapas? “Ó Jonas leva a bola pra casa meu…”

Créditos: Fabio Ferrari/LaPresse

A época já nos deu tanto e ainda nem vai a meio

Quando a situação era escandalosa Jorge Perestrelo sacava a carta da manga. Vamos à Clássica Var, Lenny Martinez “rouba a carteira” Tobias Halland Johannessen: “Ó Tobias, eu com a minha barriguinha chegava e faturava! Ó minha nossa Senhora.”

Não faço ideia se Jorge Perestrelo sequer via ciclismo nem quero usurpar a genialidade dele. Apenas brincar ao ciclismo e recordá-lo porque era brilhante.

A época já nos deu tanto e ainda nem vai a meio. Deixem-se emocionar. Como diria o génio da rádio: “É a festa do ciclismo.”

Ouçam aqui os melhores momentos de Jorge Perestrelo.

Noticias relacionadas

Os novos sapatos de BTT Ride Concepts Livewire

Os novos sapatos de BTT Ride Concepts Livewire

Taça do Mundo de XCO | Ronda 1 | Mairiporã, Brasil

Taça do Mundo de XCO | Ronda 1 | Mairiporã, Brasil

João Almeida nas clássicas das Ardenas | Dias e horários das transmissões no Eurosport

João Almeida nas clássicas das Ardenas | Dias e horários das transmissões no Eurosport

Paris – Roubaix Challenge | Como ir viver o inferno do norte

Paris – Roubaix Challenge | Como ir viver o inferno do norte

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais