Ciclocrosse – 7.ª prova da Taça do Mundo | Hulst

Ciclocrosse – 7.ª prova da Taça do Mundo | Hulst

Com o moinho do século XVIII como cenário e os diques a servirem de dificuldade, o circuito de Hulst tornou-se carismático, sendo também um dos favoritos de Mathieu van der Poel, que nos últimos 5 anos venceu lá 4 vezes e talvez por isso o tenha escolhido para fazer o regresso ao ciclocrosse na época 2022/23.

O “prato forte” deste domingo era (e foi) o regresso de Mathieu van der Poel, mas antes havia outra corrida, a feminina.

Corrida feminina

Fem van Empel entrou forte na temporada, mas Puck Pieterse está a responder e confirmar o potencial que já havia mostrado no final da temporada passada, hoje conquistou sua segunda vitória consecutiva na Taça do Mundo de Ciclocrosse. 

Depois de ser o melhor em Overijse na semana passada, o talento de Alpecin-Deceuninck também conquistou a vitória em Hulst. Fem van Empel deu boa réplica a Pieterse nas primeiras voltas, mas depois uma queda levou-a a ter que se contentar com o segundo lugar. 

UCI Cyclo-cross World cup, round 7 in Hulst

Shirin van Anrooij, que também já venceu este ano, foi a terceira e confirma a tendência da actual temporada, a juventude é quem manda neste momento.

TOP 10 final

POS.PAÍSNOMETEMPO
01Puck Pieterse 46:31
02Fem van Empel + 42
03Shirin van Anrooij + 01:47
04Ceylin del Carmen Alvarado + 02:06
05Lucinda Brand + 02:12
06Marion Norbert Riberolle + 02:32
07Helene Clauzel + 03:01
08Inge Van der Heijden + 03:09
09Line Burquier + 03:14
10Aniek van Alphen + 03:33

Corrida masculina

Como descrevi no início do artigo, o “prato forte” era o regresso de Mathieu van der Poel, que nas entrevistas prévias já havia dito que se encontrava bem, mas a posição de partida desde trás (por razão do ranking actual) poderia impedi-lo de lutar pela vitória. Não foi o que aconteceu.

O tetracampeão mundial de ciclocrosse conseguiu vencer a Taça do Mundo, cruzando a meta isolado. Apesar de partir bem de trás Van der Poel rapidamente passou para a frente, após quatro minutos de corrida já podíamos ver o seu nome na liderança.

Mesmo tendo cometido alguns erros nas primeiras voltas, conseguiu recuperar e no final acabou mesmo por distanciar o actual campeão do mundo Tom Pidcock, vencendo com tempo para festejar calmamente. 

De referir que o britânico teve azar (problema mecânico impediu de continuar), tendo cometido um erro que Mathieu van der Poel aproveitou para se isolar na liderança, mas os erros cometem-se quando existe pressão e essa pressão era van der Poel que estava a colocar com o ritmo que impôs.

Conclusão, Pidcock acabou por desistir, Laurens Sweeck e Eli Iserbyt acabaram por completar o pódio, sendo segundo e terceiro respectivamente.

TOP 10 final

POS.PAÍSNOMETEMPO
01Mathieu van der Poel 57:09
02Laurens Sweeck + 15
03Eli Iserbyt + 22
04Lars van der Haar + 30
05Joris Nieuwenhuis + 49
06Michael Vanthourenhout + 01:31
07Felipe Orts Lloret + 01:44
08Jens Adams + 01:50
09Toon Vandebosch + 02:11
10Kevin Kuhn + 02:18

Vídeo resumo

Temos um Mathieu van der Poel mais forte que na temporada passada, onde se apresentou no ciclocrosse com uma lesão nas costas, agora a expectativa é ver o regresso de Wout van Aert e o embate entre “os três magníficos” (porque mostram estar num nível acima de todos os outros), Pidcock, van der Poel e van Aert.

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do TopCycling.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

Seis destaques da Volta a Portugal do Futuro

Seis destaques da Volta a Portugal do Futuro

Bruno Pires já ganha com a Tudor

Bruno Pires já ganha com a Tudor

Evenepoel e Roglic no Dauphiné

Evenepoel e Roglic no Dauphiné

Rui Oliveira fez a festa com Tadej Pogacar no Giro

Rui Oliveira fez a festa com Tadej Pogacar no Giro

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais